Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Viagens por dentro dos dias

Blog em torno de literatura, arte, viagens, etc.

Blog em torno de literatura, arte, viagens, etc.

31.01.22

António Costa. Quando um político tem perfil de estadista e se comporta como tal, sobretudo numa situação muito difícil de pandemia, as pessoas reconhecem esse perfil e esse comportamento, e premeiam-no. O país tem aprendido à sua custa a destrinçar os vendilhões do tempo, os vendedores de banha da cobra, e aqueles que tudo arrasam em nome de políticas ultrapassadas e fora da realidade do século XXI, de quem tem valor, é pragmático, e trabalha com a sua equipa para melhorar as condições de vida dos portugueses mantendo o país no rumo certo. Essa prova foi feita ontem, nas Eleições Legislativas de 2022.

31.01.22

Ai, Chicão. Não quero acreditar. O CDS, partido fundador da democracia portuguesa, passou de partido do táxi a partido do skate.

30.01.22

Em tese, a regionalização é uma coisa boa. Em Portugal, onde o caciquismo herdado do Estado Novo se mantém com novos rostos, será uma coisa má.

Miguel Sousa Tavares in "Expresso".

30.01.22

Se se encontrar alguém a morrer na rua, provavelmente ninguém liga. Mas se for um cão ou gato, um grilo, uma avezita, as boas almas excedem-se. Aconteceu há dias com um fotógrafo espanhol, que tendo caído numa rua de bastante movimento, coberta de gelo, não conseguiu erguer-se acabando por morrer de hipotermia. Quando alguém se abeirou dele era tarde demais. São os tempos modernos.

29.01.22

A noite iluminou-se com a luz de mil archotes. Era dia sendo noite. Uma chuva de estrelas desabou sobre a minha cabeça evocando uma cascata de fogo-de-artifício. Não foi alegria o que senti, mas um repentino e inexplicável aperto no peito, um sufoco de adeus-vida. Algo de muito grave estava a acontecer e eu não o podia impedir, nem fugir. A cidade já sofrera, séculos atrás, um abalo devastador, que a reduzira a cinzas e a pó. Nos meus ouvidos repercutiam-se os gritos aflitivos dos sobreviventes. O receio de que a tragédia se estivesse a re- petir roubou-me o discernimento. Senti-me perdido num mundo em derrocada. minutos depois, compreendi que estava apenas a acordar de um sonho agitado após uma noite de insónia. Olhei para o teto das águas-furtadas com um olho fechado e o outro aberto, tirando a prova dos nove à realidade. O estuque estava no seu lugar e o mundo também. Senti um forte desejo de tomar uma chávena de café, aromá- tico e fumegante. Era urgente acordar. Sou muito lento a reagir pela manhã. Preciso de algum tempo de adaptação antes de poder desafiar o sol e explorar a vida.

António Garcia Barreto in "O Discreto Cavalheiro", romance, Prémio Literário Orlando Gonçalves 2021, patrocinado pela CM de Amadora. Em fase de produção. Âncora Editora

25.01.22

Um escritor é uma pessoa que se importa com o que as palavras significam, o que elas dizem, como elas dizem. Os escritores sabem que as palavras são o caminho para a verdade e a liberdade, e por isso as usam com cuidado, com pensamento, com medo, com prazer. Usando bem as palavras, fortalecem suas almas. Contadores de histórias e poetas passam a vida aprendendo essa habilidade e arte de usar bem as palavras. E suas palavras tornam as almas de seus leitores mais fortes, brilhantes e profundas."

Ursula Le Guin in "A Few Words to a Young Writer", 2008

24.01.22

Personagem-a-uma-janela-Salvador-Dalí-1925.jpg

Salvador Dalí, "Personagem a uma janela", 1925.

O modelo é Ana María, irmã do pintor. O exterior visto através da janela é uma imagem da infância de ambos. Mostra o mundo limitado das mulheres no início do séc. XX. Um mundo voltado para o interior da casa, para as suas tarefas domésticas e o cuidar dos filhos. A mulher não usufrui da vida exterior à casa, não tem direito à diversão. Vive de dentro para fora, limitando-se a observar pela janela o que se passa lá fora. A rua, a vida fora de portas com todas as suas movimentações, o espetáculo do mundo, está reservado aos homens. 

 

20.01.22

Em adenda ao que escrevi no post anterior sobre a presença de pessoas confinadas, por causa do Covid -19, poderem desconfinar por algumas horas para irem votar no dia 30/01, quero deixar claro, depois de ponderação, que não concordo com a situação que tem apenas uma justificação política. Quem está de quarentena, está de quarentena por alguma razão. Ponto final. 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D